Posts tagueados

feminismo

Moda

A quase onipresença dos brincos femininos nas orelhas significa que existem muitos estilos, designs e maneiras diferentes de usar essas joias, independentemente do tipo de estética que você gosta – de um brinco sutil a um brinco de argola mais intenso. E muitas vezes, apenas o furo clássico pode não ser o bastante para se expressar, o que torna os brincos para segundo furo tão populares! Sendo uma alternativa para quem quer sair do básico, mas sem se atrever demais com piercings em outras partes da orelha, esses brincos nunca saem de moda! A melhor parte é que, mesmo que você ainda não tenha o segundo furo na orelha, nunca é tarde demais para fazê-lo – se assim quiser! Ter dois brincos no lóbulo da orelha é sinônimo de dobrar a diversão e dobrar as joias, o que significa que você pode ter ainda mais peças legais para usar! Além

Leia Mais
DicasNovidades

Milhares de mulheres nos Estados Unidos já estão construindo coletivamente um banco de notas para os homens com quem já tiveram algum tipo de relação – de amizade ou amorosa (pode escolher lá se você já ficou, já namorou, é amiga, parente, ex namorada, etc). O Lulu é criação de uma descendente de jamaicanos e chineses que trabalhava em uma empresa de mobile em Londres e, com o grupo de amigas, decidiu que precisava saber um pouco mais sobre os pretendentes antes de sair com eles. Todas querem né? Depois do Tinder, que na minha opinião é coisa de desesperado (mas amigas já encontraram até namorados com esse app, então né), a grande sensação é esse Lulu. Eu baixei e achei muito legal. Ri demais com as avaliações que já fizeram dos meus amigos do facebook.. Você conecta com a sua conta do facebook e ele puxa todos os contatos

Leia Mais
Dicas

Ser feminista não é fazer protesto, odiar os homens e queimar sutiãs. Ser feminista é ter respeito próprio. É fazer o que tem vontade. É, principalmente, ter orgulho de ser mulher. Ser mulher é muito mais do que passar batom, blush e esmalte. Ser mulher é ter coragem de colocar a cara a tapa para admitir que é mãe solteira, que é lésbica, que gosta de sexo, que já fez um aborto. Chega de lavar roupas por obrigação, chega de transar sem vontade, chega de ganhar menos do que seu colega que é homem. Os tempos mudaram e até que você não mude com ele, o mundo continuará assim: machista, cinza e sem graça. Vamos colocar cor de rosa nesse mundo. Vamos ensinar nossas filhas que antes de amar alguém, devemos nos amar. Ensinar que os homens não são, em nenhuma hipótese, superiores ou inferiores. Somos iguais. Temos os mesmos

Leia Mais