Neste mês, a maior fashion magazine do mundo completa 120 anos de vida. Em comemoração desta data, será lançado o livro Vogue: The Covers com todas as capas da revista, desde a primeira – de 1892. Na publicação também estará presente a primeira capa feita por Anna Wintour, editora-chefe há 23 anos. Irreverente e ousada, escolheu uma imagem incomum: uma modelo vestindo jeans – foto retirada do editorial que estaria no recheio da revista. Anna comenta que não segue pesquisas de marketing e confia em seus instintos, apesar de correr o risco de nem sempre serem bem aceitos. Grande inspiração, não é mesmo? Apesar disso, vale prestar atenção no que esta incrível e influente personalidade disse: “Você tem que ser fiel ao que acredita”.

Vogue foi criada em 17 de dezembro de 1892 por Arthur Baldwin Turnure e Harry McVickar com o intuito de ser um pequeno folhetim de moda com 30 páginas em média, para as mulheres da alta sociedade. Publicado semanalmente, tinha como conteúdo moda, design e a vida mundana. A moda se popularizou devido às edições que, cada vez mais, mostravam famosos vestindo suas próprias roupas. Com tanto reconhecimento, passou a ter edições quinzenais a partir de 1902. No ano de 1909 a Condé Nast Publications comprou a Vogue, fazendo desta um império editorial internacional de publicação mensal muito mais atraente, com o espírito de um objeto de desejo entre as mulheres. Desta maneira, foi de pequeno folhetim à uma das maiores e mais influentes revistas de moda do século 20. Em 1916, foi lançada a Vogue UK, primeira versão fora dos Estados Unidos. Em seguida, surgiu a versão francesa em 1920 e, em 1928, as edições australiana, espanhola e alemã. Hoje, possui 18 versões ao redor do mundo.

Nos anos 60, a atual editora-chefe Diana Vreeland deu à Vogue um apelo mais jovem, com conteúdos focados na revolução sexual da época e moda contemporânea, discutindo também sexualidade. Logo na década seguinte, os editoriais tornaram-se maiores e mais sofisticados, de modo a se encaixar nas mudanças de seu público-alvo. Neste período, no ano de 1975, a Vogue ganhou sua edição brasileira. Com a entrada de Anna Wintour como editora-chefe em 1988, a revista começa a receber o status de “Bíblia da Moda”, visto que Anna transformou estilistas e modelos novatos em estrelas do dia para a noite, uma vez estampados em suas publicações. Ela também foi responsável por grandes novidades, como o lançamento da versão online da revista em 1996, assim como a Teen Vogue, a Men’s Vogue e a Vogue Living.

Minha capa favorita? Sem dúvidas, a da edição especial de 36 anos da Vogue Brasil com a deusa Kate Moss e um de meus fotógrafos favoritos, Mario Testino. Como recheio, nada menos do que inúmeros de seus cliques feitos no cenário carioca – ele é apaixonado pelo Brasil. Kate teve a companhia de modelos como Rodrigo Santoro e Cauã Reymond na sessão. A edição também conta com imagens mais íntimas e descontraídas da modelo com o fotógrafo, assim como registros onde Pelé, Oscar Niemeyer e Alcione marcam presença.

O livro Vogue: The Covers está à venda na Amazon e tem shipping disponível para o Brasil. Uma bela sugestão para decorar a sala de estar ou também para presentear a amiga. Impossível não desejar a assinatura de todas as edições nessas horas.

Post Anterior

Pre-Fall Chanel

Próximo post

Amy à venda

A Autora

renatalima07

renatalima07